Página 194-195 - Manual de Identificação de Plantas Infestantes - Hotifrúti

Versão HTML básica

192
193
Família Asteraceae
Taraxacum officinale
(L.) Webber ex F. H. Wigg.
N.V.: alface-de-cão, amargosa, amor-dos-homens, chicória-louca, chicória-silvestre, dente-de-leão, dente-
de-leão-dos-jardins, salada-de-toupeira, taraxaco.
Espécie herbácea, anual ou perene, subespontânea e que se desenvolve nas Regiões Centro-Oeste, Sudeste
e Sul do Brasil. Por se tratar de uma planta com ampla utilização na medicina popular, acredita-se que
esteja espalhada para outras regiões. Instala-se em áreas cultivadas com grandes culturas, sendo bastante
comum em plantios de tomate, pomares e jardins. Hospedeira do fungo
Podosphaera fusca
, responsável
pelo oídio nas culturas de abóbora e melão. Fornece recursos alimentares para abelhas-europa.
Planta desprovida de caule, apresenta apenas uma roseta de folhas lactíferas longas e recortadas até a
nervura central, originando até 15 segmentos, permanecendo o pecíolo e a nervura central com uma
expansão alada. Segmentos laterais assimétricos, com margens irregularmente serreadas ou onduladas.
Segmento terminal muito desenvolvido, triangular e de margens também serreadas ou onduladas, de
forma irregular. Inflorescência do tipo capítulo, em número de 5 a 6 por planta, inseridos em escapos ou
falsos caules. Flores de coloração amarela, todas liguladas e hermafroditas. Na maturação, os capítulos
transformam-se em estruturas globosas contendo os frutos secos do tipo aquênio, encimados por um
estilete coroado de pelos sedosos, com função de dispersão por meio do vento. Pode ser reconhecida em
campo pelas folhas rosetadas altamente recortadas e pelos grandes capítulos amarelados. Propaga-se
por meio de sementes.