Página 376-377 - Manual de Identificação de Plantas Infestantes - Hotifrúti

Versão HTML básica

374
375
Família Dennstaedtiaceae
Pteridium arachnoideum
(Kaulf.) Maxon
N.V.: samambaia, samambaia-das-taperas, samambaia-do-campo.
Espécie de samambaia perene que se desenvolve nas Regiões Nordeste, Sudeste, Sul e nos Estados do
Amazonas, Pará e Mato Grosso do Sul. Vegeta preferencialmente em solos ácidos de áreas com altitude
elevada e clima frio, onde forma populações densas e dominantes. Ocorre com frequência em bordos
de fragmentos florestais, mas também em campo aberto, onde as áreas são exploradas com atividades
olerícolas, a exemplo do cultivo de inhame no Estado do Espírito Santo. Instala-se com frequência em
pastagens, onde se torna inconveniente pelo fato de possuir compostos tóxicos. Citada em outras obras
com o nome de
P. aquilinum.
Apresenta caule subterrâneo do tipo rizoma longo, ramificado e vigoroso, o qual dá origem a folhas, que
são denominadas botanicamente de frondes, que podem chegar a 1,5 metro de comprimento ou mais.
As folhas apresentam longo pecíolo acastanhado, brilhante e resistente. Limbo altamente recortado
em segmentos de até 3ª ordem, simulando folhas compostas. Os segmentos são duros e coriáceos, e
neles estão contidos os soros, estruturas arredondadas, de coloração amarela a ferrugínea, situados na
face dorsal, responsáveis pela reprodução sexuada da espécie. Folhas jovens mostram-se com a ponta
enrolada ou em báculo, e quando adultas podem se tornar decumbentes, semelhantes a ramificações.
Pode ser reconhecida em campo pelo porte e longas folhas coriáceas e duras. Propagação por meio da
fragmentação do rizoma e de soros, o que é mais dificultado e lento.