Página 294-295 - Manual de Identificação de Plantas Infestantes - Hotifrúti

Versão HTML básica

292
293
Família Convolvulaceae
Ipomoea carnea
Jacq.
N.V.: algodão-bravo, algodão-do-brejo, algodão-do-pantanal, campainha, campainha-de-canudo, canudo,
canudo-das-lagoas, capa-bode, maniorana, mata-cabra, mata-pinto.
Espécie arbustiva perene que se desenvolve em todo o País, vegetando em solos secos ou alagados.
Ocupa áreas com culturas anuais ou perenes, áreas olerícolas, a exemplo da batata e áreas destinadas
à fruticultura, especialmente as do polo irrigado do Nordeste. Ocorre com frequência nos cultivos de
uva e pomares de goiaba. Quando se instala em pastagens, torna-se inconveniente pelo fato de possuir
princípios tóxicos. Fornece recursos alimentares para abelhas-europa.
Apresenta caule ereto retilíneo, pouco ramificado, cilíndrico, de coloração verde e esparsa pilosidade
branca. Folhas alternadas helicoidais, pecioladas, com limbo ovalado de base cordiforme, recoberto
por indumento de pelos velutinos. Inflorescência axilar do tipo corimbo, constituída por um longo eixo
encimado por numerosas flores, cujos pedúnculos possuem tamanhos diferentes, mas alcançam todos
quase a mesma altura. Flores grandes e vistosas, de coloração rósea, pedunculadas, cálice constituído por
5 sépalas oblongas, corola com tubo reto, alargando-se gradualmente em direção ao ápice, evidenciando
internamente coloração mais escura no fundo do tubo, nas linhas de soldadura das 5 pétalas e no centro
das interplicas com formato triangular. Androceu com 5 estames e gineceu com estigma bigloboso,
inclusos no tubo da corola. Fruto do tipo cápsula. A singularidade da espécie está no porte arbustivo e
ereto. Propagação por meio de sementes e por fragmentos do caule.