Página 278-279 - Manual de Identificação de Plantas Infestantes - Hotifrúti

Versão HTML básica

276
277
Família Commelinaceae
Tripogandra diuretica
(Mart.) Handlos
N.V.: marianinha, tracoeraba, trapoeraba, trapoeraba-rosa, trapoeraba-verdadeira, trapoerava, olhos-
de-santa-luzia, ondas-do-mar.
Espécie herbácea anual que se desenvolve em todo o País, vegetando em ambientes sombreados e
úmidos, ocupados frequentemente com horticultura. Instala-se também em culturas de banana e cacau
e nas margens de canais de irrigação, podendo dificultar o fluxo d’água. Partes da planta são utilizadas
na medicina popular.
Apresenta caule cilíndrico com ramificação ascendente, enraizante junto aos nós, consistência carnosa,
glabro, verde e com pigmentação violácea. Folhas simples e sésseis com bainha tubulosa pouco ciliada
no ápice, dispostas de forma alternada dística. Limbo longo-ovalado com a base às vezes auriculada,
glabro e com as margens inteiras a levemente ciliadas. Inflorescência terminal constituída por fascículos
de flores assentadas sobre eixos cilíndricos, em número de 2 a 6 por ramo. Flores pedunculadas, cálice
verde-claro com 3 sépalas livres, cuja base e bordos são violáceos, corola com 3 pétalas livres, de coloração
rósea, androceu constituído por 3 estames com anteras tetratecas amarelas e outros 3 com filetes curtos
de anteras bitecas, todos envoltos por pilosidade densa, gineceu com 3 carpelos soldados. Fruto seco
do tipo capsular envolvido pelo cálice persistente. Pode ser identificada em campo pela morfologia da
flor, que se apresenta desacompanhada de brácteas espatáceas, acrescentando-se ainda a observação
dos estames com anteras constituídas por 4 tecas visíveis à vista desarmada. Propagação por meio de
sementes e por fragmentação dos ramos.