Página 276-277 - Manual de Identificação de Plantas Infestantes - Hotifrúti

Versão HTML básica

274
275
Família Commelinaceae
Tradescantia fluminensis
Vell.
N.V.: trapoeraba-branca.
Espécie herbácea perene que se desenvolve nas Regiões Sudeste e Sul do Brasil, vegetando no sub-bosque
de fragmentos florestais da Mata Atlântica, áreas com lavouras anuais ou perenes e áreas olerícolas e em
terrenos baldios, onde forma uma população densa e crescente, justificada pela propagação vegetativa
facilitada e pela resistência das partes das plantas cortadas ou arrancadas. Ocasionalmente a espécie é
cultivada como ornamental.
Apresenta caule ereto, cilíndrico, verde pigmentado de avermelhado e com ramos que tendema se prostrar
sobre o solo, onde emitem raízes adventícias, ampliando desse modo a área de cobertura. Folhas simples,
desprovidas de pecíolos e com bainhas que envolvem o entrenó, dispostas de forma alternada ao longo
do caule. Limbo em formato ovalado ou largo-lanceolado, com o ápice abruptamente acuminado, algo
carnoso, glabro e commargens inteiras. Inflorescência terminal do tipo fascículo de flores, em número de
5 a 6, assentadas sobre 2 brácteas foliáceas anisofilas, ou seja, uma mais desenvolvida que a outra. Flores
com pedúnculo crescente na antese, cálice com 3 sépalas livres, corola com 3 pétalas brancas também
livres, androceu com 6 estames de filetes brancos e anteras amarelas, envolvidos por indumento piloso
também branco e gineceu tricarpelar. Fruto do tipo capsular. Pode ser identificada em campo pelas
flores de coloração branca e, na fase vegetativa, pelas brácteas anisofilas localizadas no ápice dos ramos.
Propagação por fragmentação do caule e também por meio de sementes.