Página 272-273 - Manual de Identificação de Plantas Infestantes - Hotifrúti

Versão HTML básica

270
271
Família Commelinaceae
Commelina obliqua
Vahl
N.V.: capoeraba, olho-de-santa-luzia, trapoeraba.
Espécie herbácea perene que se desenvolve em todo o País, ocupando terras cultivadas, margens de
rodovias e terrenos baldios. Ocorre com frequência em áreas hortícolas ocupadas com cenoura e tomate,
entre outras. Ocorre ainda em pomares de laranja e goiaba, cultivos de banana e mamão e em áreas com
uva conduzida por meio do sistema de espaldeira. Foi citada nos Manuais de Identificação de Plantas
Infestantes Cultivos de Verão e Arroz como
C. communis
, que é sinônimo.
Apresenta caule do tipo rizoma e caule aéreo ereto a decumbente, ramificado, verde e com intensa
pigmentação avermelhada, glabro e enraizante. Folhas simples, alternadas, curtíssimo-pecioladas,
limbo lanceolado, pubescente na face superior e com margens inteiras, bainha fechada em tonalidade
verde a avermelhada e também pubescente. Inflorescência terminal contendo 3 flores em média. Flores
protegidas por bráctea espatácea, pedunculada e ciliada nas margens, cálice com 3 sépalas, uma dorsal
e duas ventrais, todas livres ou as duas ventrais soldadas na base, corola com 3 pétalas livres, sendo as
2 dorsais maiores azuis, com formato reniforme e base em unha mais clara, a terceira pétala menor, com
formato ovalado e de coloração alvo-transparente, androceu com 3 estames e 3 estaminódios, gineceu
tricarpelar. Fruto do tipo capsular. Assemelha-se muito com
C. diffusa
, podendo ser diferenciada pela
bráctea espatácea menor e pela pétala ventral alvo-transparente. Propagação por meio de sementes e
por fragmentação do caule.